Julho Amarelo chega para alertar sobre as hepatites virais

 

Julho é o mês escolhido para conscientizar a população sobre as hepatites virais, um grupo de doenças que afeta o fígado e pode ter sérias consequências para a saúde. A campanha, conhecida como “Julho Amarelo”, visa a informar sobre a prevenção, fatores de risco e tratamento dessas doenças.

O que são Hepatites Virais?

As hepatites virais são inflamações no fígado causadas por diferentes vírus, sendo os mais comuns os tipos A, B e C. Essas infecções podem variar de formas leves, que duram poucas semanas, até doenças crônicas que podem levar à cirrose hepática ou câncer de fígado.

Como Prevenir?

A prevenção é essencial para combater as hepatites virais. Algumas medidas incluem:

Vacinação: Existem vacinas para os tipos A e B. A vacina contra a hepatite B, por exemplo, é oferecida gratuitamente pelo SUS e é fundamental tomar todas as doses recomendadas.
Higiene: Lavar as mãos regularmente e garantir boas práticas de higiene são formas eficazes de prevenir a hepatite A.
Uso de preservativos:  Usar preservativos é uma medida importante de prevenção.
Não compartilhar objetos pessoais: Evitar o compartilhamento de agulhas, seringas, lâminas de barbear e escovas de dente pode prevenir a transmissão dos tipos B e C.

Fatores de Risco

Alguns comportamentos e situações podem aumentar o risco de contrair hepatites virais:

Uso de drogas injetáveis: Compartilhar seringas e agulhas é uma das principais formas de transmissão dos tipos B e C.
Transfusão de sangue: Receber sangue contaminado é uma forma de contrair hepatite C. Felizmente, os bancos de sangue realizam testes rigorosos, mas é importante estar ciente do histórico de transfusões.
Procedimentos médicos e odontológicos sem esterilização adequada: Sempre certifique-se de que os instrumentos utilizados são esterilizados corretamente.
Tatuagens e piercings: Procedimentos feitos sem higiene adequada podem ser fontes de infecção.
Relações sexuais sem proteção: A hepatite B pode ser transmitida através de relações sexuais sem proteção.

Tratamento

O tratamento das hepatites virais varia conforme o tipo de vírus:

Hepatite A: Geralmente, não requer tratamento específico e o organismo elimina o vírus por conta própria.
Hepatite B: Pode necessitar de medicamentos antivirais para evitar complicações, especialmente em casos crônicos.
Hepatite C: Hoje, há tratamentos modernos com antivirais de ação direta, que podem curar a doença em muitos casos.
Hepatite D: Envolve o tratamento da hepatite B subjacente, já que o vírus da hepatite D só pode infectar pessoas que já têm hepatite B
Hepatite E: Geralmente, não há tratamento específico para a hepatite E, mas é importante descansar bastante e seguir uma dieta saudável e equilibrada

A Importância do Diagnóstico

Detectar a hepatite viral cedo é importante para um tratamento eficaz. Muitas vezes, a doença pode ser assintomática, especialmente nas fases iniciais. Por isso, realizar exames periódicos é fundamental, principalmente para aqueles que fazem parte dos grupos de risco.

Conscientização

O Julho Amarelo é uma oportunidade para reforçar a luta contra as hepatites virais. Através da conscientização, prevenção e tratamento adequado, é possível controlar essas doenças e garantir uma melhor qualidade de vida. Procure um posto de saúde, informe-se e cuide do seu fígado!

Para mais informações, visite o site do Ministério da Saúde ou consulte um profissional de saúde.

 

The post Julho Amarelo chega para alertar sobre as hepatites virais appeared first on CBIC – Câmara Brasileira da Industria da Construção.

Compartilhe